Mata Antlantica_edited.jpg
Mata Antlantica.PNG

Estrela Kaingáng:
a lenda do primeiro pajé,
de Vãngri Kaingáng:

32_Vãngri Kaingang.jpg

Vãngri Kaingáng pertence ao povo Kaingang. Nasceu na Terra Indígena de Ligeiro na região norte do Rio Grande do Sul em 1980 e se formou em Ciências Biológicas pela UPF. É escritora, educadora, ilustradora e artesã.

Povo Kaingáng

Autodenominação: Kanhgág/Kaingang

Localização: Grande parte do bioma de Mata Atlântica ao longo dos estados São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. 

Língua: Família Jê, tronco Macro-Jê. 

Dados populacionais: 45620 (Siasi/Sesai, 2014)

 

Conheça mais

Jaxy Jaterê:
o Saci Guarani,
de Geni Núñez

Bioma Mata Atlântica  

B075WXVP62.01._SCLZZZZZZZ_SX500_.jpg

Nas noites de festa contava as histórias que ouvimos ser contadas até hoje, ao redor das grandes fogueiras, mas ele não cessava sua procura, observava cada criança com anseio. Porque a alma imortal daquele que fora o primeiro pajé dos Kaingáng nunca deixaria de existir e nunca deixaria de ajudar aquela grande nação tão amada por ele (2016, p. 21).

Mata Antlantica_edited.jpg
Mata Antlantica.PNG
Mata Antlantica_edited.jpg
Mata Antlantica.PNG
Mata Antlantica_edited.jpg
Mata Antlantica.PNG
Mata Antlantica_edited.jpg
Mata Antlantica.PNG

       Hoje vou te contar uma história que minha mãe me contou e a mãe dela aprendeu com a vó dela e a vó dela com a outra vovó, há muito tempo. É a história do Jaxy Jatere... Você já ouviu falar dele? Não?! E do Saci Pererê, você já ouviu? Ah, sabia que você conhecia! Jaxy Jaterê é o Saci! Ele já ganhou vários nominhos: Djatchy, Jaxy e muitos outros (2020, p. 7).

WhatsApp Image 2021-11-23 at 10.43.38.jpeg
33_Geni Núñez.jpeg

Geni Núñez pertencente ao povo guarani. É graduada em Psicologia e mestre em Psicologia Social. Atualmente cursa doutorado no Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas na UFSC. É pesquisadora e escritora nas temáticas das (anti)colonialidades, branquitude, etnocídio e sistema de monoculturas. É membro da Articulação Brasileira de Indígenas Psicólogos (ABIPSI) e co-assistente da Comissão Guarani Yvyrupa.

Povo Guarani

Autodenominação: Os Guarani se dividem em três grupos: Mbya, Pãi-Tavyterã (conhecidos no Brasil por Kaiowá) e Avá Guarani (designados no Brasil por Ñandeva). 

 

Localização: Regiões Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) e Norte (Tocantins, Pará). Além disso, habitam a Bolívia, Paraguai e Argentina.

 

Língua: Família linguística Tupi-Guarani, tronco Tupi.

Dados populacionais: 85.255 no Brasil. Além disso, na Argentina são 54825; na Bolívia 83019 e no Paraguai 61701 

 

Dados populacionais: Total aproximado: 284800 (Mapa Guarani Continental, 2016).

 

Conheça mais

Nhemombaraete reko rã’i,
de José Verá:

image_processing20210901-15128-f93fy2.jpeg

     Nosso modo de aprendizado é a árvore, por isso nós aprendemos debaixo da árvore. Nosso mestre é a árvore Ipê. Da árvore, nós adquirimos os conhecimentos. A árvore é o princípio de nosso conhecimento (2020, p. 34).

34_José Verá.jpg

José Verá pertence ao povo Guarani Mbya. É escritor, contador de histórias e desenhista autodidata. 71 anos. Vive no litoral norte do Rio Grande do Sul, na Aldeia Yvyty Porã, na Terra Indígena Guarani Barra do Ouro, conhecida entre os não indígenas como “Aldeia do Campo Molhado”.

Povo Guarani

Conheça mais

Autodenominação: Os Guarani se dividem em três grupos: Mbya, Pãi-Tavyterã (conhecidos no Brasil por Kaiowá) e Avá Guarani (designados no Brasil por Ñandeva). 

 

Localização: Regiões Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) e Norte (Tocantins, Pará). Além disso, habitam a Bolívia, Paraguai e Argentina.

 

Língua: Família linguística Tupi-Guarani, tronco Tupi.

Dados populacionais: 85.255 no Brasil. Além disso, na Argentina são 54825; na Bolívia 83019 e no Paraguai 61701 

 

Dados populacionais: Total aproximado: 284800 (Mapa Guarani Continental, 2016).

 

As queixadas e outros contos Guarani,
de Olívio Jekupé:

61-jLFNghDL.jpg

     Quando Nhanderu criou o mundo, criou também Nhandexy, para ser sua mulher. Depois de um tempo, Nhandexy engravidou. Como Nhanderu precisava voltar ao céu, combinou que, sempre que o filho se lembrasse dele, Nhandexy deveria levá-lo até ele, que estaria esperando (2013, p. 14).

35_Olívio Jekupé.jpeg

Olívio Jekupé pertence ao povo Guarani. É escritor, contador de histórias, ativista em defesa dos povos indígenas.  Tem diversos livros publicados por diferentes editoras brasileiras, e também traduzidos na Itália. Jekupé maneja a oralidade e a escrita, a tradição e a imaginação, as coisas da sua própria aldeia e as da aldeia global.

Povo Guarani

Autodenominação: Os Guarani se dividem em três grupos: Mbya, Pãi-Tavyterã (conhecidos no Brasil por Kaiowá) e Avá Guarani (designados no Brasil por Ñandeva). 

 

Localização: Regiões Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) e Norte (Tocantins, Pará). Além disso, habitam a Bolívia, Paraguai e Argentina.

 

Língua: Família linguística Tupi-Guarani, tronco Tupi.

Dados populacionais: 85.255 no Brasil. Além disso, na Argentina são 54825; na Bolívia 83019 e no Paraguai 61701 

 

Dados populacionais: Total aproximado: 284800 (Mapa Guarani Continental, 2016).

 

Conheça mais

Taynôh, o menino que tinha cem anos,
de Aline Pachamama:

pachamama-taynoh.jpg

   Havia, naquela floresta, um menino que tinha cem anos, mas não envelhecia. Eu o acompanho desde sempre. Várias vezes por dia, ele tocava a árvore mais jovem da mata e cantava uma canção, em que desafinava, de tanto afeto, a engasgar a voz (2019, p. 2).

36_Aline Pachamama.jpeg

Aline Pachamama - Churiah Puri é originária do Povo Puri da Mantiqueira. Historiadora, escritora e ilustradora, é Doutora em História Cultural pela UFRRJ), Mestre em História Social pela UFF e idealizadora da Pachamama Editora.

Povo Puri

Autodenominação: 

Localização: Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo. Seu território tradicional corresponde a toda a extensão regada pela bacia hidrográfica do rio Paraíba do Sul e áreas limítrofes das bacias dos rios Grande e Doce.

Língua: Tronco Macro-Jê   

Dados populacionais: 675 (IBGE, 2010). 

Conheça mais

kunumi Guarani,
de Werá Jeguaka Mirim:

wera-jeguaka-mirim-kunumi-guarani.png

   Eu sou Kunumi, e meu povo é Guarani. Aqui falamos nossa própria língua, o Guarani. Mas quando crescemos, aprendemos o português também. Meu pai é contador de histórias e ele me ensina muitas coisas sobre o nosso povo. Com minha mãe aprendi que nós, os Guarani, somos todos parentes porque somos um só povo (2014, p. 4-7). 

38_Werá Jeguaka Mirim.jpeg

Werá Jeguaka Mirim pertence ao povo Guarani. Nasceu em 18 de março de 2001. É escritor e rapper. Conhecido como Kunumi Mc, agora nomeia-se Owerá. 

Povo Guarani

Autodenominação: Os Guarani se dividem em três grupos: Mbya, Pãi-Tavyterã (conhecidos no Brasil por Kaiowá) e Avá Guarani (designados no Brasil por Ñandeva). 

 

Localização: Regiões Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) e Norte (Tocantins, Pará). Além disso, habitam a Bolívia, Paraguai e Argentina.

 

Língua: Família linguística Tupi-Guarani, tronco Tupi.

Dados populacionais: 85.255 no Brasil. Além disso, na Argentina são 54825; na Bolívia 83019 e no Paraguai 61701 

 

Dados populacionais: Total aproximado: 284800 (Mapa Guarani Continental, 2016).

 

Conheça mais

Mata Antlantica.PNG
Mata Antlantica.PNG
Mata Antlantica_edited.jpg
Mata Antlantica.PNG
Mata Antlantica_edited.jpg
Mata Antlantica_edited.jpg

As fabulosas fábulas de Iauaretê,
de Kaká Werá Jecupé

38.jpg

    Iauaretê não era uma onça qualquer! Era uma onça-rei. Mas não somente uma onça-rei; era uma onça-rei que, por magia de Tupã, de noite virava gente e de dia virava bicho-onça-pintada (2007, p. 8). 

Conheça mais

40_Kaká Werá.jpg

Kaká Werá é indígena tapuia iniciado na tradição Guarani. 

É escritor, palestrante, vídeo-vivências, meditações, literatura e narrativas de histórias. Sua expressão em literatura se faz através do teatro, narrativas para o público infanto-juvenil, para a área de educação e também ficção. Professor, responsável pela cátedra indígena na Universidade Holística da Paz (Unipaz). Terapeuta, membro do Colégio Internacional dos Terapeutas.  

Quando eu caçava tatu e outros bichos: contos de memórias e aventuras,
de Tiago Nhandewa:

39.jpg

    A Tekoá sempre foi nosso mundo. Nela conhecíamos cada canto, cada lugar e todos que ali viviam (2020, p. 21).

Povo Guarani

Autodenominação: Os Guarani se dividem em três grupos: Mbya, Pãi-Tavyterã (conhecidos no Brasil por Kaiowá) e Avá Guarani (designados no Brasil por Ñandeva). 

 

Localização: Regiões Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) e Norte (Tocantins, Pará). Além disso, habitam a Bolívia, Paraguai e Argentina.

 

Língua: Família linguística Tupi-Guarani, tronco Tupi.

Dados populacionais: 85.255 no Brasil. Além disso, na Argentina são 54825; na Bolívia 83019 e no Paraguai 61701 

 

Dados populacionais: Total aproximado: 284800 (Mapa Guarani Continental, 2016).

 

Conheça mais

41_Tiago Nhandewá.jpg

Tiago Nhandewa  pertence ao povo Guarani-Nhandewa. É escritor, palestrante, contador de histórias e ativista em defesa dos povos indígenas. Morador da aldeia Nimuendaju, localizada na Terra Indígena Araribá, município de Avaí, interior de São Paulo, ele acaba de lançar o seu primeiro livro Quando eu caçava tatu e outros bichos (editora independente).

A terra uma só,
de Timóteo Verá Tupã Popygua:

image.jfif

     Uma luz infinita

surge.

Através da noite originária,

surge

Nhamandu Tenondeguá,

nosso primeiro pai divino,

com sabedoria infinita

e com amor infinito (2017, p. 15).

Povo Guarani

Autodenominação: Os Guarani se dividem em três grupos: Mbya, Pãi-Tavyterã (conhecidos no Brasil por Kaiowá) e Avá Guarani (designados no Brasil por Ñandeva). 

 

Localização: Regiões Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) e Norte (Tocantins, Pará). Além disso, habitam a Bolívia, Paraguai e Argentina.

 

Língua: Família linguística Tupi-Guarani, tronco Tupi.

Dados populacionais: 85.255 no Brasil. Além disso, na Argentina são 54825; na Bolívia 83019 e no Paraguai 61701 

 

Dados populacionais: Total aproximado: 284800 (Mapa Guarani Continental, 2016).

 

Conheça mais

44_Timoteo Verá Tupã Popygua.jpeg

Timóteo Verá Tupã Popygua é coordenador da Comissão Guarani Yvyrupa, Cacique da Aldeia Guarani Takuari, localizada na região de Eldorado - Vale do Ribeira (SP).

Povo Guarani

Autodenominação: Os Guarani se dividem em três grupos: Mbya, Pãi-Tavyterã (conhecidos no Brasil por Kaiowá) e Avá Guarani (designados no Brasil por Ñandeva). 

 

Localização: Regiões Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) e Norte (Tocantins, Pará). Além disso, habitam a Bolívia, Paraguai e Argentina.

 

Língua: Família linguística Tupi-Guarani, tronco Tupi.

Dados populacionais: 85.255 no Brasil. Além disso, na Argentina são 54825; na Bolívia 83019 e no Paraguai 61701 

 

Dados populacionais: Total aproximado: 284800 (Mapa Guarani Continental, 2016).

 

A vovó Puri,
de Adriano Toledo Paiva:

E ela aprendeu com os seus ancestrais a dar o primeiro banho em todos os filhos e netos. Cidinha sempre enterrou o umbigo dos filhos ao redor da sua casa e na terra de nascimento. As mulheres tinham umbigo enterrado próximo a um canteiro tão bonito de puras ervas e os meninos, no lugar da produção da subsistência, em pequenas lavouras. Assim, toda a família se sentia ligada àquela terra ( 2021, p. 8).

Povo PURi

Autodenominação: 

Localização: Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo. Seu território tradicional corresponde a toda a extensão regada pela bacia hidrográfica do rio Paraíba do Sul e áreas limítrofes das bacias dos rios Grande e Doce.

Língua: Tronco Macro-Jê   

Dados populacionais: 675 (IBGE, 2010). 

 

Conheça mais

20211106_161411.jpg

Adriano Toledo Paiva pertence ao povo Puri do Rio Formoso, localizando-se nos municípios de Santos Dumont e Tabuleiro (Minas Gerais). É escritor, ilustrador e pesquisador. É graduado em História pela UFV e mestre e doutor em História pela UFMG. Também é pós-doutor pelo PPGHIS-UFMG.

capa adriano.jpg